Image Alt

Queda de cabelo pós-pandemia não é apenas um mito

Se você vem notando uma perda mais volumosa de fios de cabelo desde que o distanciamento social começou em março, saiba que não está sozinho!

Desde que se iniciou o isolamento por conta do coronavírus, aumentaram muito os casos de pessoas que se incomodaram com a queda de cabelo dentro de casa diante desse novo dia a dia.

Mas será que o fato de passar mais tempo em casa tem ligação direta com essa alteração no nosso corpo?

Isolamento social e os problemas de pele

Como tratar queda de cabelo” sempre esteve entre os temas mais buscados no universo da estética – porém geralmente associado à calvície ou outras doenças. Ainda assim, durante o isolamento social, o problema parece ter tomado outra proporção e incomodado muito o público feminino.

Isso porque, de acordo com os dos profissionais de saúde, tanto estresse devido a pandemia e o fato de estarmos recebendo pouca luz solar ao não sair de casa podem ter ligação direta com o aumento de queixas na pele e cabelos.

Cientificamente falando, há uma ligação direta entre a derme e o sistema nervoso, fazendo com que o nosso estado emocional atinja diretamente o maior órgão do corpo humano, a pele, e também os fios.

Por esse motivo, a queda de cabelo se torna, de fato, um dos efeitos colaterais de passarmos tanto tempo tensos, procurando nos readaptar dentro de casa. Além dela, problemas como caspa, oleosidade, espinhas, dermatite e psoríase também podem aparecer.

Como tratar a queda de cabelo

Após um período tão incomum em nossas vidas, ainda vale a máxima de que prevenir é melhor do que remediar.

Por esse motivo, para evitar que o cabelo continue caindo após o isolamento social, os profissionais da saúde aconselham que o paciente realize atividades físicas, durma bem e mantenha uma boa rotina alimentar – dando preferência aos alimentos naturais e não industrializados, como frutas, verduras e legumes. Evitar doces e frituras também pode contribuir, assim como manter os cabelos sempre limpos e longe de oleosidade em excesso.

Para casos em que o problema persista, não deixe de procurar um especialista para que ele possa te indicar um tratamento mais efetivo! O mercado dispõe atualmente de diversas tecnologias para tratar a queda de cabelo. Conheça alguns deles:

Microagulhamento

O microagulhamento capilar pode ser feito por rolinhos de agulhas (rollers) ou aparelhos estéticos mais modernos com tecnologia mais precisa, e consiste na perfuração do couro cabeludo – causando pequenos ferimentos que estimulam a circulação do sangue e permitem a injeção de substâncias que estimulam o crescimento dos fios. O tratamento deve ser combinado com tratamentos tópicos e orais e pode ter efeito de longo prazo. A escolha da técnica também interfere no resultado – por isso, perfurações com tecnologias, como o da plataforma Endymed, permitem resultados mais importantes e precisos para a estimulação local.

Complexos vitamínicos

Após a ação do microagulhamento, muitos especialistas recomendam a utilização de complexos vitamínicos no couro cabeludo para apoiar o estímulo ao crescimento do cabelo. Em caso de afinamento de fios, por exemplo, costuma-se usar um complexo vitamínico que já vem manipulado, fator de crescimento e silício. Já a queda de fios pede pela aplicação de substâncias como finasterida, minoxidil tópico e fator de crescimento. Vitaminas do complexo B, pantenol e silício também são indicados para melhorar a espessura dos fios – mas somente um profissional especializado pode indicar a quantidade ideal para cada caso.

Fototerapia

A fototerapia realiza uma irradiação de laser de baixa potência ou LED com o objetivo de combater a queda capilar. A luz penetra no couro cabeludo, estimulando as células locais e sua absorção de nutrientes, acelerando a divisão celular, eliminando os resíduos e fortalecendo o crescimento de novos fios. O tratamento também reduz inflamações na área e melhora a oxigenação, prevenindo que o cabelo caia.

Laser de Thulium

O laser fracionado de Thulium, amplamente conhecido por tratar manchas na pele, rugas e flacidez, também pode ser utilizado no combate à queda de cabelo com resultados impressionantes. Por meio da plataforma Lavieen, a tecnologia de laser não-ablativo abre os canais do couro cabeludo, melhorando a qualidade dos fios e estimula o folículo capilar, permitindo o crescimento e aumentando o volume de cabelo na área tratada. Essa é uma ótima opção para quem deseja um tratamento completo, aliado ao microagulhamento e aos complexos vitamínicos. O número de sessões necessárias pode variar entre seis e dez, conforme o problema apresentado.

Para saber mais sobre esses tratamentos, é só clicar aqui

Deixe um comentário: